4 Profissões em alta em tempo de crise

compartilhar:
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
4 Profissões em alta

4 Profissões em alta em tempo de crise

Em momentos de crise, que pode significar diminuição na renda ou até mesmo desemprego, o nosso instinto de sobrevivência no leva a encontrar novas maneiras de ganhar dinheiro, ter uma segunda renda, ou até trabalhar com algo diferente e mudar de carreira, trabalhar sem muitas burocracias, ou mesmo assumir responsabilidades e ser o próprio chefe. 

Vamos abordar profissões que não são realmente novas, mas que ganharam um novo impulso, uma nova abordagem devido às inovações tecnológicas que aproximaram as pessoas, permitindo novas formas de comunicação, troca de informações e cooperação.

Facilidade de acesso a maquinários e dispositivos que antes difíceis de encontrar ou que até mesmo não existiam, como é o caso dos aplicativos de mobilidade, ensino à distância em tempo real, fazem com essas profissões entre no radar de muitas pessoas que se reinventam num mundo em constante e acelerada transformação.

MOTORISTA DE APLICATIVO

Motorista de Aplicativo

Desde que os aplicativos de transporte por carros particulares chegaram no Brasil, muitas pessoas aderiram a nova forma de trabalho. Se tornaram motoristas de aplicativo. Essas pessoas optaram por tirar seu carro da garagem e transitar pelas ruas de sua cidades, levando passageiros, encomendas e até comida. Como motorista de aplicativo mulheres e homens viram no transporte de passageiros um meio de ganhar dinheiro transformando o carro que de forma geral é uma fonte despesas em uma fonte receitas e renda.

Em 02 de agosto de 2019, o Diário Oficial da União anunciou a inclusão da categoria Motorista de Aplicativo Independente para profissionais que utilizam aplicativos para geração de renda. Estes motoristas podem formalizar sua atividade como Microempreendedores Individuais (MEI) e aproveitar muitos benefícios, inclusive previdenciários.

Desafios da função

  1. Ganhos relacionados aos dias de trabalho: Um dos desafios de ser motorista de aplicativo é entender que a remuneração mensal está diretamente atrelada ao tempo em que você trabalha. Ou seja, diferentemente do emprego nos padrões formais CLT, em que você ganha o seu salário cheio independentemente se faltou um dia (com justificativa/atestado), se você não trabalha, não ganha.
  2. Manutenção do carro: Outro fator que deve ser considerado por quem pensa em ser motorista de aplicativo é que manter a manutenção do carro em dia é cuidado inegociável. Mais do que um meio de transporte, ele é a sua ferramenta de trabalho! Com isso em mente, para não perder pontos com os clientes ou, até mesmo, dias de trabalho por conta de problemas mecânicos, é preciso investir em manutenção preventiva e garantir que o carro está limpo e com uma boa aparência para receber os passageiros. 
  3. Segurança: Como qualquer atividade com contato direto com o público, ter cuidado redobrado com a segurança como motorista de aplicativo é essencial. Nesse sentido, siga as recomendações da empresa para a qual presta serviços e reporte qualquer situação suspeita.

Dicas para se sair bem na profissão de motorista de aplicativo.

Para mandar bem nessa profissão e potencializar ainda mais os seus ganhos, é fundamental que você invista tempo em planejamento! O primeiro passo nesse sentido é definir objetivos e metas. Uma forma bem simples de fazer isso é estipular quanto precisará ganhar por mês e projetar quantas viagens você tem que fazer por dia para gerar um retorno financeiro que cubra suas despesas e ainda gere lucro. Você precisa listar suas despesas. Tenha em mente que você vai precisar levar em conta coisas como carro próprio – quitado/financiado ou carro alugado. Daí pra frente contabilizar conforme o caso custos com IPVA e Licenciamento, custo de manutenção, pneus, óleo e afins, limpeza do carro, consumo de combustível, custo do seguro, roupas e calçados adequadas, smartphone com gps, plano de celular, imprevistos, multas e etc, etc. Seja educado, seja cortês. Mantenha-se informado sobre assuntos atuais. Estabeleça conversas leves e agradáveis, isso se o passageiro quiser conversar.

COACH

Coach

O Coaching de carreira é a profissão que tem como principal objetivo auxiliar pessoas que estão no processo de mudança em suas carreiras e/ou redirecionando seus objetivos e metas. Um coach ajuda profissionais, executivos, empreendedores, pessoas públicas, artistas, escritores, atletas entre outros, a identificarem com clareza o que almejam nas suas áreas de atuação e também na vida pessoal. E, através disso, criam e desenvolvem estratégias, rotinas de estudos e atividades, técnicas de concentração e foco, lazer e descanso para que essas pessoas alinhem vida profissional e pessoal, equilibrando-as de acordo com suas prioridades, necessidades e desejos.

Sua metodologia é testada e aprovada por diversas instituições internacionais que comprovam os benefícios gerados pela prática da mentoria com as quais um indivíduo pode desenvolver seu próprio potencial, utilizar suas experiências e habilidades para apoiar o crescimento e desenvolvimento de outros indivíduos e empresas. É um método construído sob diversas disciplinas. Ele une exercícios de Consultoria, Terapia, Psicologia, Estratégias Neurocientíficas. Enfim é preciso se preparar e estudar muito para se tornar um Coach.

Coaching, Coach e Coachee

Embora sejam palavras muito parecidas, essas nomenclaturas possuem significados muito diferentes: Coaching: metodologia de desenvolvimento humano conduzida pelo Coach; Coach: profissional que conduz o processo de Coaching; Coachee: cliente que passa pelo processo de Coaching.

Tipos de Coach

Selecionamos aqui alguns tipos de coach para exemplificar as áreas de atuação do Coach:

  1. Coaching de Vida: É o coaching mais abrangente, que envolve aspectos variados da vida do ser humano. Ele é voltado ao desenvolvimento pessoal, auxiliando o coachee a superar obstáculos, vencer medos e a conquistar autoconfiança;
  2. Coaching de Relacionamento: Esse coaching é destinado a casais, que passam a se conhecer melhor e a enxergar e aceitar os defeitos e falhas do parceiro. Assim, esse processo visa aprimorar o relacionamento e a melhorar a afetividade do casal.
  3. Coaching de Negócios: O coaching de negócios visa ajudar empresários a desenvolverem estratégias necessárias para o crescimento de suas empresas.
  4. Coaching Financeiro: A finalidade do coaching financeiro é oferecer uma orientação especializada e detalhada, para que o coachee conquiste melhores resultados em suas finanças. 
  5. Coaching de Vendas: O coaching de vendas, como o próprio nome já diz, é um processo voltado exclusivamente para vendas, que estimula o coachee a construir soluções que se adequem às necessidades de sua empresa.
  6. Coaching Esportivo: O Coach Esportivo leva os atletas a alcançarem resultados e desempenhos cada vez maiores, por meio de incentivos positivos e treinos com técnicas específicas de Coaching.

Dicas para se sair bem na profissão de Coach

Para poder ajudar os outros antes de mais nada você precisa se ajudar, se lapidar. E para isso você precisa investir tempo e dinheiro para estudar, participar cursos e treinamento que te capacitem a atuar como Coach. É imprescindível que o profissional faça uso de metodologias específicas de coaching com eficácia comprovada, que estude com instituições e pessoas qualificadas a ensinar. A profissão coach é uma profissão séria, que lida com a vida de outras pessoas e com seus futuros profissionais e pessoais.

Por isso, é preciso estar sempre por dentro das técnicas e métodos validados por instituições idôneas, se atualizando constantemente, para que o trabalho seja aprimorado.

Tenha em mente que atualização profissional é a melhor forma de você se aprimorar na sua profissão. Ao se manter atualizado, você entrará em contato com os métodos de trabalho mais novos e eficientes para aplicar em suas sessões.

É preciso ter ética e respeitar os valores pessoais da pessoa em treinamento. É preciso se manter motivado a ensinar, ter o objetivo de ajudar as pessoas a alcançar os objetivos com paciência e persistência. Fundamental cuidar da própria saúde, física, mental e emocional, compartilhando suas vivências com outros profissionais, inclusive fazendo terapia se for o caso, a fim de lidar da melhor forma possível com o fato de estar presente na rotina, na vida das pessoas e poder entregar a elas o melhor do seu conhecimento, do seu talento e suas técnicas de treinamento.. 

TRADER AUTÔNOMO

Trader Autônomo

O trader autônomo é uma pessoa que após um treinamento profissional e pessoal sobre o mercado ações, opções, futuros e câmbio. Atua no mercado de renda variável realizando operações na bolsa de valores por conta própria visando o lucro. 

A Bolsa de Valores, também conhecida como B3 é o ambiente onde os negócios relativos a renda variável acontecem: ações, opções, fundos de investimentos, futuros, câmbio. A CVM – Comissão de Valores Mobiliários, que é ligada ao Banco Central do Brasil, é quem fiscaliza e arbitra as operações realizada na Bolsa de Valores.

Não é preciso ter uma formação específica para ser trader: você pode ser economista, médico, engenheiro, designer ou professor de filosofia e mesmo assim se tornar um ótimo trader. Contudo, conhecer os conceitos de economia e entender que bons ou maus resultados de uma empresa, que expectativas e demandas de outros acionista, ações judiciais, ou mesmo notícias sobre política ou economia, eventos climáticos, crises econômicas entre outras variáveis,  podem e vão influenciar os preços dos ativos negociados em Bolsa, para cima ou para baixo, esse entendimento é fundamental para conseguir ter sucesso de maneira sustentável neste mercado.

A profissão Trader está em crescimento e tem grande potencial de ganhos e de perdas. O profissional deve ter algumas habilidades específicas, conhecimento do mercado financeiro e capacitação técnica, mental e emocional. A saber existem três principais tipos investidores e/ou traders:

  1. Investidor de Longo prazo: É a pessoa que compra ações de empresas sólidas, que geram lucros e são bem administradas, e que se valorizam através da alta preço de suas ações, ou que distribuem bons dividendos para os seus acionistas. São investimentos feitos geralmente para a aposentadoria e geração de renda num futuro de 10 anos ou mais. É o investimento mais conservador em ações. Não poder ser considerado propriamente um Trader, pois esse perfil não é negociador, ele compra e guarda as ações para o futuro. Essa é uma forma muito eficiente de se investir em ações, e é o método preferencial de mega investidores como Luiz Barsi, Warren Buffet e George Soros entre outros.
  2. Swing Trader: é o investidor que conta com a valorização ou desvalorização natural do preço de uma determinada ação a fim de obter lucros em uma janela de curto/médio prazo. Essa operação pode ser de um dia para o outro. Ou durar de dois a três dias. Pode durar uma semana, ou até três meses, até que se feche a operação e só então apurar o lucro ou prejuízo que ela deu. Esse investidor não quer casar com a empresa, não quer sócio dela, ele visa sim obter lucro com as oscilações naturais do preço. 
  3. Day Trader: é um investidor especulador. Ele tem o objetivo primordial de realizar operações de compra ou venda de determinado ativo, ações, índices futuros, câmbio na janela máxima de um dia. Ele visa lucro imediato, ele é um especialista nas oscilações diárias do preço de uma ação. E sempre opera a favor do mercado, comprando ou vendendo, seguindo a maré. Em geral é uma pessoa muito bem treinada para saber acompanhar o movimento da maré. Com técnica e domínio próprio apurados, ele trabalha para cumprir um plano de trade com meta de lucro, controle de risco e limite de perdas. Afinal o imediatismo pode resultar em enormes lucros ou perdas gigantescas. É preciso estar tão preparado para perder quanto para ganhar.

Dicas para se sair bem na profissão de Trader Autônomo

O trader autônomo costuma trabalhar de casa e por conta própria, para começar a pessoa precisará ter: um computador ou notebook – i3, i5, i7 ou similar, conexão de internet estável e confiável, ter uma conta aberta em uma corretora de valores mobiliários, ter dinheiro nessa conta. As operações são feitas por meio de um Home Brokers e/ou uma plataforma profissional de negociação.

Preste atenção em algo muito importante: é preciso ter conhecimento para operar na bolsa. Se você nunca operou na bolsa, ou se você já operou e pretende voltar depois de um bom tempo de ausência, para começar estude, leia, faça cursos. Prefira corretoras que oferecem cursos livres para iniciantes e que tem simuladores onde é possível treinar o que se aprende nos cursos em um ambiente simulado que usa dados reais, mas o dinheiro é fictício. Treine e aprenda a operar. A profissão de Trade Autônomo não é uma profissão para apostadores, na bolsa se perde dinheiro real quando se opera sem técnica e sem capacitação.

Apesar de muitos considerarem uma profissão que envolve altos riscos, ela pode ser altamente lucrativa, mas vale lembrar que não é possível obter garantias quando falamos de renda variável e tudo vai depender do seu treinamento, do controle emocional e de risco, da estratégia adotada pelo trader e da regularidade ao operar. 

Mesmo que o trader possa trabalhar de onde quiser, ele precisa entender que para que as suas chances de sucesso sejam maximizadas, é preciso ter as mesmas responsabilidades de um emprego qualquer, como horário para estudar e se atualizar sobre as tendências do mercado para o dia seguinte, para a próxima semana, para o próximo mês. Ler notícias sobre políticas, economia, mercados, câmbio, commodities e afins.Ter tempo e tranquilidade para operar. Se você operar em um ambiente que te tira do foco, as chances de perder aumentam bastante. Você precisará de boas ferramentas de trabalho – home brokers ou plataforma, disciplina, estudo constante, cuidado com a saúde, física, mental e emocional entre outros.

CERVEJEIRO ARTESANAL

Cervejeiro artesanal

Não é necessário formação de nível superior para se tornar um cervejeiro em micro e pequenas empresas de cerveja artesanal, mas o conhecimento sobre a produção da bebida e componentes de suas receitas é essencial. É possível começar a fazer cerveja no fogão de casa em uma panela de 20 litros, ou 50 litros. Depois de cozinhar a sua receita de cerveja artesanal adicionando lúpulo e a levedura cada um no seu momento certo, você vai precisar de uma geladeira onde possa controlar a temperatura durante as fases de maturação e fermentação. Após a fermentação essa cerveja precisar ser envasada antes de ser consumida ou vendida.

O cervejeiro, Mestre, aprendiz ou iniciante é o responsável pela produção de cervejas e chopes, desde a seleção de matérias-primas e criação de novas receitas até o controle final de qualidade do produto pronto. Ele acompanha todo o processo produtivo, garantindo a qualidade e o sabor da bebida.

Durante a produção, o mestre cervejeiro deve garantir, além da qualidade do produto, que a bebida tenha sempre o mesmo sabor, cor, espuma e aroma, de acordo com o previsto pela receita. Esse profissional deve ter grande conhecimento sobre os ingredientes essenciais da cerveja, como lúpulo, malte, água e leveduras, para que possa combiná-los da melhor forma possível.

O mercado de cervejas artesanais está mais aquecido do que nunca. Um levantamento recente feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, órgão regulamentador do setor cervejeiro no Brasil, aponta que já passamos da marca de 600 cervejarias no Brasil, sendo a grande maioria microcervejarias, produzindo mais de 7.500 cervejas diferentes. Para você vender legalmente a sua cerveja em supermercados, bares, restaurantes, festas e eventos públicos é preciso ter o registro no MAPA.

Segundo um estudo feito pelo Instituto da Cerveja Brasil, o mercado brasileiro de cervejas artesanais ganha, em média, uma nova micro cervejaria por semana.

Transformar seu hobby em profissão: este é um caminho almejado por muitos cervejeiros caseiros. Indicado para: Pessoas com afinidade por assuntos técnicos – especialmente química, botânica, microbiologia e gestão aplicada a produção. Disposição pra trabalhar bastante e disciplina para seguir padrões rigorosos de higiene e processos como controle de temperatura, tempo de cozimento, quantidades e proporções, higiene de novo. Afinal, fazer cerveja artesanal para tomar com amigos é uma coisa. Fazer cerveja artesanal como forma de renda, colocar no mercado, vendê-la e assim sustentar você e sua família é outra bem diferente.

Dicas para se sair bem na profissão de Cervejeiro Artesanal

Essa profissão mistura a paixão pela bebida com conhecimento de gestão e tecnologia. A cerveja surgiu no Egito antigo, então dificilmente você estará criando algo totalmente novo. Seja criativo e ao mesmo tempo evite tentar reinventar a roda. Estude e aprenda sobre:

  1. Os tipos e combinações de maltes;
  2. Os variedades e usos do lúpulos;
  3. Leveduras, estude-as;
  4. Conheça os tipos de cerveja existentes;
  5. Aprenda sobre a qualidade da água usada na fabricação da cerveja;
  6. Se informe e pratique a higiene e assepsia do ambiente, dos utensílios e insumos;
  7. Estude sobre o preparo e o cozimento do mosto, aprenda a fazer cerveja;
  8. Obtenhas conhecimento sobre forma de envase, garrafas, latas, growlers ou barril;
  9. Informe-se sobre estocagem, refrigeração e prazo de validade;
  10. Venda! Para ser uma profissão precisa gerar receita e lucro. Aprenda a vender!

Para ir além, existe a formação em Mestre ou Técnico cervejeiro este profissional deve ser capacitado, fazendo um curso superior na área. No Brasil, existe o curso técnico pelo SENAI, onde o profissional torna-se técnico cervejeiro, e um superior na Escola Superior de Cerveja e Malte em Blumenau/SC onde torna-se então um mestre cervejeiro ou engenheiro de produção cervejeira. E devem surgir novas opções em breve tendo em vista o crescimento desse mercado.

COMO ATINGIR A SEU OBJETIVO DE SUCESSO PESSOAL E FINANCEIRO

Como você quer estar daqui há 5 anos? Essa pergunta é muito importante! Se você escolhe um novo caminho, uma nova profissão ou mesmo uma outra forma de obter renda extra adotando um segunda atividade profissional, você precisa estabelecer um objetivo e traçar metas para chegar lá.

Sendo assim, a diferença entre objetivo, que é o que você pretende fazer e/ou alcançar e de metas, que são as tarefas que você precisa cumprir para chegar ao objetivo. O objetivo é o que você quer alcançar, e as metas estipulam os passos e prazos para a realização das etapas de um determinado objetivo.

Por exemplo, se o seu objetivo é ter independência financeira, sua meta será traçar caminhos que te levarão ao aumento de renda, como administrar melhor seu dinheiro, descobrir onde você desperdiça e perde dinheiro, e como aplicar essa renda, para que o dinheiro também trabalhe para você. Assim nos próximos cinco anos. Quando metas são atingidas, você consegue alcançar os seus objetivos.

Para isso é importante que você desenvolva algumas atividades ligadas ao auto conhecimento, saber de forma clara e consciente as suas competências e fraquezas. E daí em diante desenvolver as competências e superar as fraquezas. Essa sem dúvida é uma jornada incrível que envolve ter sempre em mente e sempre praticar conceitos como:

  • Disciplina;
  • Resiliência;
  • Foco;
  • Equilíbrio;
  • Determinação;

Empreender é usar o próprio conhecimento e competências, a sua força de trabalho, o seu tempo e seus recursos. É saber suas limitação e pontos fracos e supera-los com a finalidade de obter a realização financeira e pessoal, da sua família como meta.

“A sorte favorece os audazes” – Alexandre o Grande.

Estude, se conheça e prepare-se para o Sucesso!

Veja Também

Siga-nos

Assine! fique por dentro das Novidades

Receba informações sobre empreendedorismo, negócios, turismo e muito mais. Você pode cancelar o recebimento a qualquer momento.

Publicidade